Internet livre

Projeto realizado na Fatec de Praia Grande que visa propor uma solução que aumente a satisfação dos usuários em relação ao uso da Internet na instituição.

Pular para:

Introdução e justificativa

Informalmente, alunos e funcionários já reclamaram ou reclamam da Internet disponível na Fatec de Praia Grande. Tais reclamações se propagam boca a boca e sem o uso de um canal apropriado. Apesar de não serem oficiais, diversas maneiras já foram utilizadas pela instituição para solucionar ou dar alguma satisfação a essas reclamações.

Recentemente, a diretora e professora da instituição, a Dr. Luciana Maria Guimarães utilizou a intranet para dar uma satisfação às reclamações de lentidão no link de Internet (Figura 1).

Comunicado da Diretora Dra Luciana a respeito da Internet.
Figura 1 - Comunicado da Diretora Dra Luciana a respeito da Internet.

Tal satisfação também foi dada pelo gestor da Intragov, o diretor de serviços Juarez Figueiredo de Camargo, através de email encaminhado a direção e a coordenação de TI da Fatec de Praia Grande (Figura 2).

Comunicado do Diretor de Serviços a respeito da Internet.
Figura 2 - Comunicado do Diretor de Serviços a respeito da Internet.

Tais satisfações, tanto da diretora da instituição como do gestor da Intragov, indicam não apenas que há uma preocupação em tentar solucionar esses problemas, mas também que essas reclamações ocorrem e não somente na Fatec de Praia Grande.

No entanto, talvez por não serem oficiais ou por não existir um canal apropriado para essas reclamações, não é possível precisar se a insatisfação se dá apenas pela lentidão do link ou também pela restrição de acesso a alguns endereços, tais como endereços de blogs e redes sociais.

No ano de 2012, o link de Internet da Fatec de Praia Grande foi usado para baixar um filme que possuía direitos autorais. O detentor desses direitos monitorava o tráfego de seus arquivos e identificou e notificou o gestor da Intragov sobre o fato ocorrido. Essa notificação foi comentada em mensagem encaminhada pelo DTI&C aos professores e funcionários conforme ilustração na Figura 3. Por sua vez, administração central do Núcleo de Gestão da Intragov optou por medidas que trouxeram alguns inconvenientes no início da implantação, como a autenticação do usuário para navegar na Internet. Esses inconvenientes também foram motivos de reclamações em aulas que necessitavam do recurso da Internet.

Comunicado do Departamento de TI e Comunicação da instituição.
Figura 3 - Comunicado do Departamento de TI e Comunicação da instituição.

O Centro Paula Souza possui uma ferramenta de avaliação que permite acompanhar a evolução do desempenho de suas instituições e planejar ações e melhorias para a qualidade do ensino. Essa ferramenta é chamada de WebSAI (Sistema Web de Avaliação Institucional). Segundo WebSAI (2012), mais da metade dos usuários consideraram regular ou ruim o uso da Internet na Fatec de Praia Grande. Mesmo sendo esse um meio oficial de manifestar a opinião sobre o recurso em questão, o item “uso da internet” nesse relatório também não é claro com relação à velocidade do link ou endereços disponíveis para acesso.

Diante do que foi exposto, pode ser notado que existe uma insatisfação em relação ao uso da Internet e que essa insatisfação não ocorre apenas na Fatec de Praia Grande. Além disso, pode ser observado também que não há um meio adequado para avaliar e verificar se o recurso disponível atende as necessidades dos usuários.

Objetivos

O objetivo deste projeto é propor uma solução que aumente a satisfação dos usuários em relação ao uso da Internet na Fatec de Praia Grande. Além do benefício direto visado pelo objetivo deste projeto, tal iniciativa poderia também melhorar a avaliação sobre o item “uso da internet” no próximo WebSAI.

Nessa solução é previsto ainda uma ferramenta que permita avaliar como a Internet está sendo utilizada e o que é necessário fazer para melhor adequá-la às necessidades dos usuários.

Materiais e métodos

Os métodos a serem estudados e avaliados neste projeto foram organizados em quatro fases:

Cada uma dessas quatro fases possui atividades que poderiam ser exploradas por grupos diferentes de alunos. As fases de planejamento e implantação devem ser executadas em seqüência. Após essas primeiras fases, a fase de monitoramento do conteúdo acessado e a fase reintegração de acesso podem ser executadas em paralelo. As quatro fases são descritas com mais detalhes nas subseções a seguir.

Fase de planejamento

Um estudo sobre a infra-estrutura atualmente disponível será realizado, levantando quais as principais dificuldades enfrentadas pelo Departamento de Tecnologia de Informação (DTI) da instituição e quais abordagens já foram testadas.

Com base nas informações obtidas sobre a infra-estrutura, principais dificuldades apontadas pelo DTI e as necessidades dos usuários da Internet da Fatec Praia Grande, elaborar uma proposta para implantação da solução.

Fase de implantação

A solução deverá ser implantada por meio do uso de softwares livres para permitir que seja explorada por outras instituições e incentivar a colaboração de outras comunidades na implantação deste projeto.

A infra-estrutura, bem como o controle de usuários, provedor de internet (Proxy) e servidor web, deverá ser provida por computadores com sistemas operacionais Linux. O sistema utilizado nas fases seguintes será desenvolvido com uso das linguagens Java e PHP.

Fase de monitoramento do conteúdo acessado

O termo “livre” ao qual o título do projeto se refere não quer dizer “liberada para acesso descontrolado”, mas sim livre para acessar qualquer conteúdo que possa ter interesse acadêmico. Com isso, surge outra questão: como identificar se um conteúdo pode ou não ter interesse acadêmico? Para responder essa questão, pretende-se explorar e avaliar neste projeto duas abordagens:

Para a primeira abordagem, o monitoramento colaborativo, deve ser explorado o conceito que popularizou muitos fóruns, blogs e redes sociais, a colaboração dos usuários. A ideia é que todos os usuários conhecem o conteúdo que os outros usuários acessam. Por meio de uma listagem que contém o nome de usuário, o tempo de permanência e a URL que foi acessada, os demais usuários poderão visitar os mesmos endereços e verificar se o conteúdo pode ou não ter interesse acadêmico. No caso do usuário encontrar alguma irregularidade no conteúdo acessado, poderá marcar anonimamente tal endereço para revisão. O primeiro objetivo dessa abordagem é verificar e avaliar a participação dos usuários, tanto do lado de quem acessa o conteúdo como do lado de quem monitora. Verificar se quem acessa conteúdo, usa o recurso com maior prudência, uma vez que o ser humano tende a não fazer coisas erradas quando alguém está olhando. Incentivar o monitoramento dos demais usuários por meio de uma interface fácil e intuitiva e que permite organizar a listagem por diversas categorias, tais como aluno ou funcionário, nome de usuário ou dias da semana. Fornecer também ao usuário que monitora, dados sobre os status do link, consumo de banda e outras informações que possam contribuir para outras pesquisas.

Para o monitoramento por meio de aprendizado de máquina pretende-se utilizar os logs armazenados de acesso. Nessa abordagem, cada endereço acessado é um exemplo para um problema de classificação. As palavras disponíveis no conteúdo de cada endereço irão compor as características de um exemplo. Os algoritmos de aprendizado de máquina receberão um conjunto de exemplos de treinamento de diversas categorias que prentende-se investigar, tais como pornografia, proxies, terrorismo etc. Quando um novo endereço é registrado nos arquivos de log, o sistema obtém as palavras-chave do conteúdo acessado e procura identificar qual categoria poderia ser atribuída aquele exemplo. Nessa segunda abordagem, o objetivo é avaliar quais algoritmos possuem melhor desempenho para identificar as categorias dos sites acessados.

Fase de reintegração de acesso

Os usuários que acessarem conteúdo identificado como inadequado as atividades acadêmicas deverão receber instruções de como usar o recurso de maneira correta. A abordagem para essa fase que será avaliada primeiramente neste projeto consiste de três estágios. Para o primeiro estágio, o usuário que tem acessado conteúdo inadequado será notificado eletronicamente sobre o ocorrido. Em caso de reincidência, considerado segundo estágio, a notificação virá acompanhada de suspensão por tempo determinado. No terceiro estágio, após o cumprimento da suspensão e reincidência, além de nova suspensão, o usuário deverá participar de um curso a distância (ead) sobre como usar corretamente o recurso da Internet para liberação do acesso outra vez.

O curso ead deverá ser elaborado, implantado e avaliado por meio da ferramenta Moodle já disponível na infra-estrutura da Fatec Praia Grande.

Resultados obtidos

Referências

Em caso de dúvida sobre o conteúdo apresentado, entre em contato comigo.